Menu Direita

Menino que enfrenta sérios problemas de saúde precisa de ajuda para pagar tratamento

Alessandra Bagattini | Comunidade | 28/06/2020 18:13
Menino que enfrenta sérios problemas de saúde precisa de ajuda para pagar tratamento Fotos: Arquivos Pessoais
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 5968

Pedro Henrique Pires Miranda, de um ano e três meses precisa da ajuda da comunidade. Ele e sua família residem no município de Abelardo Luz. De acordo com o laudo médico, o menino apresenta atraso significativo no desenvolvimento neuropsicomotor e um quadro compatível com paralisia cerebral.

– Foi um parto podálico, ou seja, ele nasceu inverso, com os pés primeiro, diante disso, teve de ser puxado com força. Isso ocasionou um rompimento do diafragma e seu pulmão do lado direito não funcionou. No mesmo dia do seu nascimento, ele foi encaminhado para o Hospital São Paulo, em Xanxerê, onde começou a sua luta pela vida. Ele permaneceu 36 dias na UTI. Como não foi conseguido um diagnóstico concreto, o Pedro foi encaminhado para a UTI de Florianópolis, no Hospital Joana de Gusmão. Lá constatou-se eventração diafragmática. Nesse período, foi feito uma cirurgia para correção no diafragma que não deu resultado, então foi refeita. Como a garganta dele já estava comprometida devido a intubação, foi feita uma cirurgia de traqueolaringomalacia, que também não teve sucesso. Sendo assim, veio a cirurgia de traqueostomia. Quando ele tinha seis meses, foi transferido para a UTI de Chapecó, ali o Pedro fez uma cirurgia para poder se alimentar. Ficamos neste hospital por uns quatro meses – comenta o pai Amilton Rogério Miranda.

Atualmente, Pedro faz uso de vários equipamentos e precisa de cuidados 24 horas por dia. Sendo assim, sua mãe não pode trabalhar, já que fica responsável pelo menino.

– Hoje ele faz uso diário de ventilação mecânica e de uma bomba para se alimenta. Precisamos fazer a aspiração constante de secreção. O Pedro faz uso de remédio controlado devido ao quadro de convulsão que acabou desenvolvendo. Ele tem hipertireoidismo, intolerância a lactose e refluxo – salienta o pai.

Conforme a família, quase todo o tratamento realizado por Pedro é custeado com a ajuda do município, porém, há custos extras que não estão inclusos, diante disso, o pedido é por ajuda.

– Quase todo o tratamento dele está sendo pelo município, porém alguns remédios temos que ir comprando e os suplementos alimentares também. Devido as máquinas ficarem 24 horas ligadas, estamos tendo dificuldade no pagamento da energia, mesmo sendo baixa renda e cadastrada como vip pela Celesc. Hoje somente eu estou trabalhando minha esposa fica período integral com os filhos – frisa Amilton.

Entre exames, remédios, suplementos e energia elétrica, a família tem um custo de aproximadamente R$ 1.200 mensal. Como, para a família, as despesas são altas, eles contam com a ajuda de muitos amigos e familiares. Para a comunidade interessada em ajudar, foi aberta uma conta bancária. Eles aceitam qualquer valor em dinheiro.

– O Pedro precisa de fonoaudióloga, fisioterapia respiratória, fisioterapia motora, neurologista, endocrinologista, geneticista, gastro, pediatra, cirurgião, cardiologista e nutricionista. No município não temos profissionais de todas as áreas. Tínhamos ajuda da Apae nas fisioterapias, porém devido a pandemia estamos sem. Por isso, precisamos de ajuda – destaca.

Aos interessados em ajudar, a conta bancária disponibilizada é a seguinte:

Banco do Brasil
Agência 1382-x
Conta corrente 32.993-2
Pedro Henrique Pires Miranda

 

Para ter contato com a família clique AQUI.

Deixe seu comentário