Menu Lange
Menu Direita

Você compra um livro pela capa?

Michelle Sofiatti – Personal Branding | Michelle Sofiatti - Personal Branding | 25/10/2020 10:30
Você compra um livro pela capa?
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 4114

Quem nunca comprou um livro, produto ou serviço pela maneira em que se apresentava? Você já parou para pensar o quanto é importante ter uma boa apresentação, seja física ou pessoal? Eu sei, ninguém gosta de ser julgado, mas já que, de certa maneira a capa vende muito mais do que o produto em si, porque não potencializarmos isso, e usarmos a nossos favor?
Da mesma forma como compramos um livro pela capa, assim somos vistos pela maneira em que nos apresentamos. Você tem cuidado da sua imagem pessoal? Segundo o grande publicitário brasileiro Washington Olivetto, ele diz que: “Cada pessoa nasce para uma coisa na vida, mas poucas tem a sorte de descobrir qual é essa “coisa”, e por isso são poucas as que são felizes e bem sucedidas em seu trabalho”. Você sabe qual é o seu talento, e de fato em que você é bom de verdade? Se não sabe, esse é o seu próximo passo. Por isso, gostaria de retratar sobre a forma em que nos apresentamos ao mundo.
Eu venho falando muito em meu Instagram sobre branding pessoal, e é um assunto que muitas vezes acaba sendo de difícil interpretação, mas quando você entende de fato, o que realmente é, você percebe que, talvez já praticava o tal do branding sem saber! Branding significa gestão de marca. Não sei se vocês estão cientes disso, mas nós somos uma marca. Carregamos conjuntos de características que nos definem como tal. E branding pessoal, nada mais é que a gestão da nossa marca pessoal. Há uma grande diferença, entre a maneira como somos percebidos, e a forma em que gostaríamos de sermos vistos. Segundo Jeff Bezos, CEO da Amazon, ele diz que: “Sua marca pessoal é o que as pessoas dizem sobre você quando você não está na sala”. Você já parou para se perguntar qual é a emoção e percepção que você transmite? Muitas vezes deixamos de gerir a nossa marca pessoal, e acabamos não sendo reconhecidos pelos nossos talentos. Mas quando há uma gestão e acompanhamento, é possível vender mais através do nosso branding, conquistar o emprego dos sonhos, se destacar em qualquer área, fazendo aquilo que você realmente ama, e ainda receber por isso.
Na constante transformação e evolução que estamos vivenciando, as empresas vem buscando por profissionais que sejam referências em diferentes ramos de atividades laborais. Muitas profissões estão surgindo a cada dia, e se você não começar a gerir a sua marca pessoal e carreira, é bem provável que você fique de fora das melhores oportunidades do mercado. Devemos estar atentos as tendências, sem sermos alienados, olhando ao redor e buscando sempre acompanhar a evolução. Não devemos ter uma marca fixa, pois assim podemos passar por cenários diferentes e nos tornamos cada fez mais firmes, fortes e lembrados. Muitas pessoas abdicaram da sua marca pessoal e adotaram o nome da empresa como sobrenome, e durante muito tempo se orgulharam em pertencer a empresa tal. Mas do dia para noite, podem ser demitidas, e não serão mais lembradas, pois esqueceram de trabalhar e gerir a sua persona, uma vez que, não era você que existia, e sim a reputação da empresa que o sustentava.
Nunca é tarde para inicializar o processo de gerenciamento da marca pessoal. Uma dica que dou aqui é: Se veja como empresa, definindo seus valores, missão e visão. Tenha isso claro, de onde almeja chegar. Se posicione, saiba o que você quer, e descarte tudo o que te tira o foco e energia. Pule do banco de carona e assuma a direção da sua vida. E lembre-se: você é resultado das experiências que proporciona. Acredite na sorte, mas não dependa dela. Tome uma atitude hoje. Para acompanhar mais de perto minhas aventuras e insights, te convido a me acompanhar nas redes sociais, aonde divido dicas diárias sobre desenvolvimento pessoal, midset e construção de uma marca pessoal:

Telegram, Instagram e YouTube.

 

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias