Menu Lange
Menu Direita

Inteligência artificial: será o fim do trabalho humano?

Michelle Sofiatti – Personal Branding | Michelle Sofiatti - Personal Branding | 26/09/2020 09:36
Inteligência artificial: será o fim do trabalho humano?
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 2269

Atualmente muito se ouve de que os robôs, computadores e máquinas estão substituindo a força de trabalho humana. E que isso vem acontecendo em uma velocidade bem considerada, não podemos negar. A inteligência artificial nada mais é que, a capacidade de dispositivos eletrônicos, de funcionar de uma maneira que lembre o pensamento humano e sem a sua interferência.


Segundo um investidor chinês Kai-Fu Lee, investidor e especialista em IA (Inteligência Artificial), diz que a inteligência artificial pode acabar com cerca de 40% dos empregos em 15 anos. A inteligência artificial irá cada vez mais substituir os trabalhos repetitivos, não apenas o trabalho braçal, mas também o intelectual. Entretanto há uma pesquisa que mostra que cerca de 80% das profissões que surgirão até 2030 ainda não foram criadas.
Porém enquanto esta tecnologia está se tornando cada vez mais difundida, o elemento humano continuará sendo importante. Uma pesquisa descobriu que posições de trabalho baseadas em atividades repetitivas e não criativas serão complementadas por tecnologias de inteligência artificial. A chave para a sobrevivência serão os traços inerentemente humanos que as pessoas tem e que são insubstituíveis, como criatividade, empatia e predominância de significado. Em outras palavras, à medida que a tecnologia da IA avança, os seres humanos continuarão a desempenhar um papel significativo em agregar valor à tecnologia no que se refere a seus empregos. A mente criativa de um humano é diferente da mente acionada por algoritmos e um complementa o outro.
Não há dúvida de que a tecnologia agiliza e facilita vários processos das empresas. Os primeiros computadores eram máquinas simples, capazes de executar apenas algumas operações matemáticas básicas. Hoje esses dispositivos já são capazes de aprender os nossos gostos e identificar tendências e processar um grande número de informações em tempo real para tomar decisões e automatizar processos. Preocupação ou um alerta? Alerta para quem anda distraído cuidando apenas do dia a dia sem uma real noção do futuro que se aproxima rapidamente.  É hora de encarar a realidade: não há volta. O mundo como conhecemos já começou a se despedir. Precisamos receber o novo mundo com inteligência, aceitar que a forma de atuação profissional vai mudar para todo mundo, e que todos terão espaço, desde que as adaptações comecem desde já. Movimente-se, aprenda, reflita, adapte sua rotina. Ou continue fazendo o que sempre fez e jamais diga que foi pego de surpresa.
Desejo a todos um excelente fim de semana! Para acompanhar mais de perto minha rotina, se quiserem dicas e ideias relacionadas a desenvolvimento pessoal, espero vocês nas minhas redes sociais:

Neste Canal divido dicas diárias sobre desenvolvimento pessoal, midset e construção de uma marca pessoal:
TelegramInstagramYouTube.

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias