Menu Lange
Menu Direita

Doenças mentais e ideação suicida: saiba quando ficar alerta

1 Bilhete | 1 Bilhete com Fabiane Padova | 21/09/2020 08:45
Doenças mentais e ideação suicida: saiba quando ficar alerta
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 2539

A ideação suicida é motivada por fatores internos e por fatores externos. Ao abordarmos os fatores internos, nos referimos às doenças mentais pré-existentes.

Tais doenças servem como um alerta para que fiquemos atentos aos sinais apresentados pela pessoa, pois ela está mais suscetível a pensar, idealizar ou cometer suicídio.

Importante ressaltar que doença mental não é frescura ou loucura. Doença mental ou transtorno mental são padrões comportamentais/mentais que causam sofrimento, anormalidade ou incapacidade de funcionar saudavelmente no cotidiano. Podem ser ocasionados por fatores biológicos, ambientais ou psicológicos. Ademais, não escolhem cor, raça, etnia, idade, cultura ou gênero – podem afetar qualquer pessoa em qualquer fase da sua vida.

Os profissionais preparados para realizar o diagnóstico de uma doença mental são o psicólogo e o psiquiatra. Esses profissionais, além de diagnosticar, planejam e executam o tratamento adequado.

Saúde mental tem tratamento e muitas tem cura, desde que seja realizado o tratamento correto.

As principais doenças relacionadas ao suicídio são: depressão, transtorno afetivo bipolar, dependência química (principalmente álcool), esquizofrenia e transtornos de personalidade, como o antissocial e o borderline.

Se algum amigo, familiar, colega de trabalho ou alguém próximo tiver o diagnóstico de alguma das doenças citadas, preste atenção e incentive para que o mesmo busque e realize o tratamento correto, pois ele está vulnerável a pensar e cometer suicídio.

Se você enfrenta algumas dessas doenças, procure ajuda e realize o tratamento. Fale com alguém de sua confiança caso estiver passando por alguma dificuldade muito grande ou se pensar em suicídio.

Como nos diz Cortella “o suicídio é uma solução DEFINITIVA para um problema PASSAGEIRO”.

Segundo a OMS, 9 de cada 10 suicídios podem ser evitados – e isso só ocorre com orientação correta, abordagem correta e tratamento correto. O sofrimento passa e a vida continua. Procure um psicólogo.

 

Fabiane Padova
Psicóloga clínica – CRP12/16382
(49)9 9999-9339

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias