Menu Lange
Menu Direita

Diário da Pandemia 765º dia:

Diário da Pandemia | Diário da Pandemia | 23/04/2022 16:19
Diário da Pandemia 765º dia:
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 1027

Depois de um satisfatório encontro com bons amigos, acompanhado por bom churrasco e boa cerveja (e no qual foram discutidos muitos assuntos filosófico-existenciais), iniciamos mais um fim de semana. Aliás, a semana que passou não transcorreu conforme o desejado, já que alguns planos acabaram sendo abortados, por motivações contrárias e alheias… Assim, a semana que vem deverá já iniciar com novo planejamento, a fim de dar conta da problemática ora surgida. Mas nada que não possamos enfrentar!

Quanto vale aquilo que alguém conhece? Pode variar de poucos reais a milhões, dependendo de como se quantifica. Na verdade, sempre fui fascinado por qualquer saber, inclusive do chamado conhecimento (in)útil.

Recordo que, quando criança, meus pais compraram uma coleção de livros, a famosa Enciclopédia Barsa. Eram muitos volumes, reunindo informações importantes sobre milhares de verbetes/palavras. Com isso, ela nos ajudou, a mim e a meus irmãos, em diversos trabalhos escolares da época.

Tempos depois, alguns programas televisivos (ao estilo Show do Milhão) testavam o conhecimento de algumas pessoas, com as mais diversas perguntas; sobre tudo, desde as capitais de países até a escalação de jogadores de uma seleção na Copa do Mundo.

Com isso, quero defender que todo conhecimento é, essencialmente, importante! Aqueles chamados conhecimentos gerais (geralmente ligados à História ou Geografia) acabaram, com o tempo e o advento do Google (onde você acha tudo que quiser), sendo, erroneamente, considerados inúteis.

Porém, com a (quase) infinita capacidade que o nosso cérebro tem de acumular informações, precisamos, sempre, valorizar o conhecimento. Afinal, é ele que nos distingue em um mundo cada vez mais competitivo!

Fechando com o tema de hoje, sugiro a leitura de O código do herói (William H. McRaven). O autor, quando menino, sonhava em ser super-herói. Assim, nessa obra, ele homenageia os heróis cotidianos e reais que conheceu em diversos lugares: campos de batalha, hospitais e universidades. Enfim, todas as pessoas que fazem a sua parte para melhorar a vida e o mundo em que vivemos.

Bom final de semana!

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias