Menu Lange
Menu Direita

Diário da Pandemia – 681º dia:

Diário da Pandemia | Diário da Pandemia | 29/01/2022 18:20
Diário da Pandemia – 681º dia:
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 1477

Finalizamos (acho que até meio precocemente) o primeiro mês de 2022. E, nos últimos dias, um mal-estar causou-me certo incômodo e alguma dor física (em um texto futuro, prometo contar em detalhes o que aconteceu). Apesar dos dissabores, precisamos, efetivamente, seguir adiante, pois o futuro está à nossa espera. Assim, afugentando o notável abatimento emocional, já devemos planejar fevereiro, que (logo, logo) “bate à nossa porta”! Persistência e confiança sempre!

Em virtude do mal-estar que me afligiu, acabei, como sempre, fazendo toda uma “teia” de reflexões possíveis (tanto em nível de merecimento quanto de o porquê eu ser vítima disso). Com isso, vejo, cada vez mais, que preciso continuamente clamar: “obrigado, Senhor!”.

Obrigado, Senhor, pela vida que me proporcionou. Como já analisei por diversas ocasiões, não tenho tudo que queria, mas Ele me provê com tudo que preciso. E assim tem sido ao longo de todas as intempéries e atribulações que já passei nestas poucas décadas de existência humana.

Obrigado, Senhor, pelo meu corpo perfeito. Sim, não me falta nenhum membro e nenhum órgão, o que me garante viver com uma saúde, digamos, relativamente boa. Enfim, tenho uma compleição convencional, quando muitos se queixam de possuir uma saúde frágil ou em declínio.

Obrigado, Senhor, pelo mundo maravilhoso que nos proporciona. A natureza, principalmente, é um verdadeiro “elixir” para nossa existência. Espécies animais e vegetais complementam a vida humana neste planeta. Aliás, como é bom contemplar a criação divina e nos sentirmos parte atuante dela.

Obrigado, Senhor, por fim, pelos desafios que cotidianamente coloca em nossa frente. O que seria do ser humano sem desafios a enfrentar? Teria ele disposição para viver?

Última sugestão de leitura de janeiro: “Nossos filhos são espíritos” (Herminio C. Miranda). O autor prova que, além do frágil corpo com que começamos a vida, possuímos também um espírito imortal, provido de maturidade, personalidade e tendências que guiam nosso viver.

Bom final de semana!

 

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias