Menu Lange
Menu Direita

Diário da Pandemia – 660º dia

Diário da Pandemia | Diário da Pandemia | 08/01/2022 17:13
Diário da Pandemia – 660º dia
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 1810

E chegou ao seu final a primeira semana de 2022! Parece que passou rápido demais! Enfim, já foi um período de pequenas realizações, com a manutenção das boas atividades na academia, as salutares sessões de fisioterapia e os benéficos contatos com potenciais novos parceiros para o site. Por outro lado, surgem as más notícias de que a Covid-19 voltou a recrudescer… Será que teremos mais um ano marcado pela Pandemia?

Janeiro, por si só, é imbuído da esperança de que haja a renovação da vida. Sendo o primeiro do ano, também é marcado como o “mês da Conscientização da Saúde Mental”, como bem recorda a minha amiga psicóloga Lucimara Silva.

Então, neste mês, temos muito a debater sobre a saúde mental, um tema que está na pauta até da Organização Mundial da Saúde, devido à nefasta Covid 19. E a saúde mental é prejudicada de diversas formas, como veremos a seguir.

A depressão, por exemplo, foi rotulada como o “mal do século”. Cada vez mais, as pessoas são atingidas por essa doença emocional que paralisa vidas, destrói relacionamentos e martiriza muitos indivíduos. Ela não “escolhe” suas vítimas, atingindo tanto crianças como jovens, adultos e idosos.

Outra doença perniciosa é a ansiedade. Infelizmente, conheço muitas pessoas, principalmente professores, que não vivem sem um ansiolítico. A ansiedade, igualmente, prejudica a vida de milhões de brasileiros, tornando-os escravos da chamada “urgência do tempo”.

Há muitas outras doenças que atingem a saúde mental, porém fico nessas duas, para convidar todos a uma boa reflexão. Como vencê-las? Parece que uma das possibilidades é, como bem orienta a Lucimara, “vigiar nossos pensamentos”. Por outro lado, desenvolver atitudes positivas também nos auxilia nessa batalha.

E você, como trata a sua saúde mental?

Primeira sugestão de leitura de 2022: “O poder dos quietos para jovens” (Susan Cain). Com esse livro, a autora propõe uma reflexão sobre a forma como a sociedade considera os introvertidos. Assim, através de sua experiência com crianças e adolescentes, analisa os desafios que eles enfrentam em família, com os amigos e em outras áreas da vida.

Bom final de semana!

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias