Menu Lange
Menu Direita

Diário da Pandemia – 618º dia:

Diário da Pandemia | Diário da Pandemia | 27/11/2021 16:01
Diário da Pandemia – 618º dia:
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 1576

Antes de a semana finalizar, a quinta-feira à noite foi muito assustadora em Xanxerê, com um forte vendaval atingindo o município e provocando alguns estragos. Além disso, estamos chegando a mais um final de ano, com novembro praticamente finalizado. Neste mês, então, estou lendo o bom “Doutor sono” (já estando na metade do livro). E, como sempre, continuo com minhas intensas atividades de fisioterapia e academia. Sempre adiante e à frente!

Efetivamente, a tecnologia não possui (nem conhece) limites: a cada dia que passamos, mais avanços ocorrem nessa fantástica área. Por isso, é que afirmamos que, atualmente, temos “o mundo na palma da mão”.

Essa assertiva comprova-se facilmente pelo nosso celular. Com alguns simples toques, descortinamos o mundo, descobrindo qualquer coisa que queiramos ou necessitemos, além de podermos trabalhar (inclusive) através dele.

Antigamente, lembro que em minha infância e juventude, consultávamos grandes livros (como era o caso da Enciclopédia Barsa), caso precisássemos saber algo ou fazer algum trabalho escolar. Além disso, era preciso copiar manualmente o que estava lá.

Agora, colocando o celular na palma da mão, pesquisamos qualquer coisa em instantes, segundos. Parece que todo o conhecimento do mundo está nesse pequeno e potente aparelho. Na verdade, tudo está na “grande rede”, e o celular apenas nos conecta a isso.

E felizes (esperamos!) serão as futuras gerações, que poderão usufruir de tecnologias ainda mais avançadas. Já imaginou, por exemplo, se, daqui a um tempo, o mundo efetivamente estiver na palma da mão, sendo possível teletransportar-se para qualquer lugar? Não duvido nada disso!

E você, costuma explorar o mundo através da palma da mão?

Todo fim de semana pede uma boa leitura, como “De sangue e cinzas” (Jennifer L. Armentrout). Nessa fantasia cativante, com muita ação, descobre-se que não há regras a seguir, nem passado nem futuro. Assim, a personagem central acumula o máximo de experiências antes de finalizar a sua jornada.

Bom final de semana!

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias