Menu Lange
Menu Direita

Diário da Pandemia – 562º dia de confinamento:

Diário da Pandemia | Diário da Pandemia | 02/10/2021 18:30
Diário da Pandemia – 562º dia de confinamento:
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 2350

Mais um final de semana, para nosso deleite. Outra semana que pode ser considerada muito proveitosa, tanto no âmbito profissional como relacional. Na verdade, nos últimos tempos, só tenho a agradecer pelos bons dias, em virtude das fantásticas experiências vivenciadas, principalmente abrangendo o Diário da Pandemia e sua divulgação.

Não sei se já contei aqui, mas todos os assuntos vinculados à mente me atraem de forma profunda. Sou um aficionado pelos temas dessa área, já que não concebo o ser humano apenas como um ente físico. Então, hoje, tratemos de “forçar a mente para lembrar”.

Naturalmente, com o passar dos anos, nosso cérebro fica mais “preguiçoso” e mais condicionado. Isso é algo natural e irreversível. Diante dessa situação, somos obrigados a, continuamente, trabalhar nossa mente para tudo.

E esse aspecto envolve tanto tarefas cotidianas, rotineiras, quanto grandes movimentos que precisemos realizar. Calma! Já explicarei melhor meu raciocínio!

De maneira bem simples, a nossa mente, tal como um músculo, precisa de movimento (ação cerebral) e reforços contínuos, para não atrofiar. Com isso, não basta anotar tudo: necessitamos recorrer, ao mais profundo, para recordar compromissos (ir ao mercado e comprar “x” produtos), tarefas profissionais (atender a um cliente, satisfazendo uma necessidade) ou, ainda, até lembrar de um café marcado com um amigo.

Diante do exposto, qual a solução? Mente ativa, sempre! Leitura constante, acompanhada por atividades intelectuais, como jogos e cruzadinhas, por exemplo. Precisamos, indubitavelmente, manter nosso cérebro em ação.

Você costuma fazer isso?

Indico, hoje, uma nova boa leitura: “Minha história” (Michelle Obama). Na obra, a autora relata suas memórias, desde a infância humilde (em South Side) até desembarcar na Casa Branca, como primeira-dama dos Estados Unidos. A narrativa é leve, pontuada por bastante bom humor, revelando uma mulher decidida e forte (sua personalidade desde o princípio).

Em tempo: gratidão é a palavra adequada para os novos leitores que se juntaram ao projeto Diário da Pandemia, nitidamente após a divulgação que houve, nesta semana, em nível estadual! Sejam todos bem-vindos e tenham boas leituras!

Bom final de semana!

 

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias