Menu Lange
Menu Direita

Autoestima baixa: como identificar e melhorar?

1 Bilhete | 1 Bilhete com Fabiane Padova | 10/07/2022 16:16
Autoestima baixa: como identificar e melhorar?
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 1198

A autoestima é a avaliação subjetiva que uma pessoa faz de si mesma. É a
percepção que ela tem sobre si mesma de acordo com o seu comportamento,
qualidades, habilidades e modos de pensar.

A baixa autoestima desencadeia sentimentos de inferioridade, insegurança,
incapacidade, dentre outros. Ao contrário, a autoestima elevada demonstra
segurança e confiança.

Os níveis da autoestima tendem a mudar ao longo do dia. Ela não é estável.

Como identificar se a minha autoestima está baixa demais?

A baixa autoestima não é um transtorno mental, mas pode gerar diversos problemas
na rotina, no trabalho e nos relacionamentos.

Abaixo seguem alguns dos principais sintomas causados pela baixa autoestima e
dicas práticas de como melhorar.

Sintomas:
● falta de confiança em si mesmo;
● medo de enfrentar desafios;
● mania de colocar defeito em tudo o que faz;
● timidez em excesso;
● perfeccionismo;
● não se permitir errar;
● excesso de comparação com os outros;
● dificuldade para aceitar as próprias conquistas;
● sente-se incapaz e insuficiente;
● diálogos mentais negativos constantes;
● desmarcar compromissos por insegurança com algo, como a aparência;
● crises de ciúmes muito intensas em relacionamentos amorosos ou amizades.

Como melhorar?

Não há uma fórmula mágica, pois cada ser humano enfrenta dificuldades
particulares. Abaixo, listei algumas estratégias interessantes que você pode testar:

1. Faça terapia: é por meio da psicoterapia que você pode detectar gatilhos e
padrões em seus modos de pensar e agir que interferem na sua autoestima.
Lembrando que a psicoterapia é um processo de médio a longo prazo. É
necessário ter consistência e não desistir no meio do caminho.

2. Celebre as suas conquistas: comemore cada conquista, por menor que seja.
Quem possui padrão de baixa autoestima tende a ignorar as próprias vitórias.

3. Evite comparações: cada pessoa possui um contexto de vida e uma jornada,
portanto a comparação nunca é justa. O mundo atual tem gatilhos demais
que nos levam à comparação, principalmente por meio das redes sociais. Se
for necessário, estipule um limite diário de uso.

4. Pratique atividade física: a prática de atividade física traz inúmeros benefícios
à saúde, inclusive no aumento e manutenção de uma autoestima elevada.

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias